America do Norte Praias

MY ATLANTIS EXPERIENCE

Entenda como funciona um dos maiores hotéis das Bahamas

:: No último post, contei em linhas gerais, como foram os meus #bahamiandays e, claro, não poderia deixar passar os detalhes da estadia :: 

Leia mais: Um sonho chamado Bahamas

O Atlantis Bahamas é um mundo, e acho que merece um post com as minhas experiências nesses dias mágicos de férias. A ideia central deles, é retratar a cidade perdida de Atlântida, com arquitetura pitoresca e muita extravagância por todos os cantos.

É praticamente a única opção de estadia em Paradise Island e fica a mais ou menos, meia hora do Aeroporto Internacional de Nassau e uns 15min de barco até o centro de Nassau.

Importante: Todas as informações, mapas (sim, você vai se perder no primeiros dias), reserva de jantar e consulta da conta, você consegue fazer pelo app. Baixe antes de viajar! 

O hotel escolhido

O resort possui 5 opções de estadias:  Beach Tower e Coral Towers (econômicos),  The Reef e The Cove (luxo) e o Royal Towers, o mais tradicional, que aparece em todas as fotos e também minha escolha para esse dias.

Em termos de localização dentro do complexo, o Royal Towers ganha em relação aos outros hotéis por ser bem centralizado e ser o prédio que abriga o Cassino, o Aquário-museu (The Dig) e boa parte das atrações do parque aquático, como o famoso tobogã que todo mundo conhece. Por ser bem central, é onde fica a maior concentração de famílias e também onde as esteiras da piscina ficam mais lotadas.

No meu quarto, da categoria Regal Suites, tinha 90m², uma pequena varanda e vista para a praia de Paradise Beach. No quarto, além dos amenities clássicos de banheiro, tínhamos também frigobar e máquina de café/chá, duas garrafas de água gratuitas por dia e wi-fi.

vista do quarto
Vista do quarto

O que fazer 

Aquaventure: É o parque aquático do Atlantis e com certeza, sua maior atração. Tem piscinas e tobogãs para todos os gostos.

under water
Cercada por água e mais água

Compras: Se você tem dinheiro, meu caro, o céu (ou o Atlantis card) é o limite! Tem muita opção de compra no hotel e, ainda que você não queira comprar nada material, não se preocupe, porque praticamente para todos os serviços inclusos, tem uma opção VIP que você pode pagar a parte. Tem piscina que é privativa, bangalô na piscina pra quem não quer se misturar com a ralé nas esteiras, e por aí vai. Isso sem falar das excursões, Dolphin Cay e por aí vai. Junte tudo isso ao fato ter um shopping tax free com MACGucci, DFV…etc.

Praias: O Atlantis fica basicamente localizado às margens da Paradise Beach (que ocupa grande parte dos entornos do hotel) e de Cove Beach (na região do The Cove). Na primeira, o mar é mais agitado, tem bastante gente oferecendo passeios de jet ski e tranças para os cabelos. Já em Cove Beach, tanto o mar quanto a praia em si são bem mais tranquilos, as esteiras são menos procuradas e mais confortáveis (#ficadica).

Cassino: Fica no prédio do Royal Towers e tem opção (e jogo) para tudo o que é serumaninho. Ah, não sabe jogar? Fica tranquilo! Tem aulas de jogos diariamente também (não falei que eles pensam em tudo?!)

Dolphin Cay: Com certeza minha atração preferida. Um dos pontos altos da minha viagem foi nadar com os golfinhos. Fiz a experiência Shallow (o nado acontece numa área bem rasinha) e é a coisa mais linda de se ver os golfinhos abraçando e se esfregando em você. O que não foi a coisa mais linda do mundo, foi ter que pagar quase 100 dólares por 6 fotos digitais…

dolphin cay
Clap your hands say yeah

Spa: O Mandara Spa também tem as mais diversas opções de massagem, serviços de salão e etc. Se você se estressar com toda essa coisa de praia/piscina/comer demais…é uma opção. Confesso que acabei não indo, até porque na semana seguinte, viajaria pra um Hotel Spa no Texas, e deixei pra relaxar quando cheguei nos EUA.

Parede de Escalada: Uma parede de escada outdoor. Durante o período que estive no hotel, não estava funcionando.

Academia: Super equipada (super mesmo). Sala de musculação, de spinning, de pilates, piscina com raias, vestiários, sauna…e mesmo assim não me animei em colocar o tênis e fazer alguma coisa. Juro que fui até a porta, mas lembrei que tinha um Ben & Jerry’s por ali, aí já sabe…rs

Baladas: Festinhas por aqui também não faltam.  Aura, Moon e o Dragon’s são as opções noturnas. Durante o dia, a festinha mais topzera acontecia na piscina do The Cove, privativa, apenas para quem estava hospedado lá. Lembrando, que diferentemente do Brasil, não existe essa coisa de ver o sol nascer na balada. Normalmente, os clubes fecham por volta das 2h…o Aura, fica aberto até mais tarde (fecha às 4h, e quando digo FECHA, é fecha mesmo haha).

Onde comer 

Opção para comer é o que não falta: São 21 restaurantes e 19 bares!  As opções estão separadas em Refeições finas, Refeições informais, cafés e lanches rápidos e bares.

Os restaurantes que visitei foram:

Refeições finas: 

Café Martinique: Meu preferido. Restaurante francês que acabei indo por acaso, em uma das idas frutadas (sem reserva e consequentemente, sem mesa) à Casa D’Angelo (abaixo). O cardápio francês é bem adaptado, pedi uma sopa e uma salada e meu namorado escolheu alguns aperitivos que dividimos, estava tudo uma delícia!

Casa D’Angelo: Com certeza a maior expectativa x decepção. Queria muito ir neste restaurante desde o primeiro dia e nunca conseguia reservar. O sistema deles (e do app) estava fora do ar e no fim, acabei conseguindo uma reserva na última noite. Tinha gnocchi (minha comida preferida) que parecia imperdível. No fim, O tal do gnocchi nem era tudo isso e meu estômago estranhou muito o tempero, mas a atmosfera é ótima, as sobremesas são ótimas e claro, a sua escolha, diferentemente da minha, pode valer a ida.

Olives: Restaurante de comida mediterrânea que escolhi para jantar no dia 31 antes de ir para a festa na piscina. Fica dentro do Cassino, no prédio do Royal Towers e consegui reservar na própria tarde do dia 31. A comida é uma delícia, carta de vinhos interessante e apesar do barulho que tava, por ser uma noite comemorativa, era possível conversar com o mínimo de dignidade.

Refeições Informais:

Mosaic: Restaurante do The Cove com o buffet de café da manhã mais surreal que já vi na vida! Era tanta opção de comida, que nem sabia por onde começar! Acho que funciona para o jantar também, mas tenho que recomendar o café da manhã deles. Sai uns 60 dólares por pessoa, mas você vai comer MUITO. Prepare-se.

Poseidon’s table: Outro que acabei indo só para o café da manhã, mas que também vale a pena. O preço também é por pessoa e saí uns 45 dólares por pessoa, também em estilo buffet. Fui duas vezes, porque apesar de ter menos opção, gostei mais do que do Mosaic e era mais fácil o acesso: também fica no hall do Royal Towers.

Bimini Road: Restaurante/bar todo bonitinho que fica na Marina e tem como tema a culinária típica. Como passei a maior parte do tempo no Atlantis, achei que seria uma boa opção para provar a comida bahamense. Foi lá que provei os famosos conchs (e que não gostei, rs) e que me diverti com a música local ao vivo, nos finais de semana.

Cafés e lanches rápidos:

Starbucks: A loja principal fica na Marina, mas sempre tinha um quiosque de Starbucks no meio do caminho. Muitas vezes, era meu café da manhã: um muffin, café e suco de maça, que acabava tomando na piscina.

Ben&Jerry’s: Maníaca por sorvete que sou, passei por aqui diversas vezes. Perto das piscinas centrais tem um quiosque, mas a loja fica na Marina Village.

Platos: Provavelmente o lugar que mais visitei: ficava no  hall do Royal Towers, bem pertinho do elevador, e era ótimo para uma refeição rápida, no melhor estilo “to go”. Às vezes pegava um sanduíche ou um croissant + uma bebida para almoçar ou um parfait de iogurte com frutas para o café da manhã.

Beach Bites: Bar perto da piscina central que sempre fazia meu “almoço”: quase sempre um wrap vegetariano, chips e algum suco.

Vale lembrar que em todos os prédios tem lojinhas de conveniência, que também são uma opção para quem quiser comprar alguns snacks para comer durante o dia.

Para quem quiser comprar algumas refeições com antecedências, existem os dining plans, que podem valer a pena se você quiser fazer todas as refeições em restaurantes. Como eu sempre optava por fazer uma refeição decente (jantar), passar o dia na piscina comendo snacks e tomar café da manhã de vez em quando, não compensava para mim.

Qualidade do sono

Apesar de toda a movimentação, o quarto era super silencioso. A única noite que ouvi alguma coisa, foi na noite do reveillon, já que rolou uma festa na piscina a partir das 18h do dia 31. Na hora que voltei para o quarto, umas 2 da manhã, o vuco-vuco já tinha acabado e consegui dormir em paz, sem nenhum problema.

Preços

Os preços são variáveis, dependendo da estadia que você escolher e do estilo de viagem que você fizer. O gasto com alimentação pode ser alto, assim como as atrações que você pode comprar e que não estão incluídas na estadia.

Diárias a partir de R$1500,00

DAY PASS: Se você estiver de passagem pelas Bahamas em um dos cruzeiros que cortam a região, saiba que você pode aproveitar o Atlantis, mesmo sem dormir.  Você pode comprar um daypass e aproveitar todo o lazer que o Resort oferece!

 

Paulista; Inquieta e curiosa, ama uma boa história. E olha que não faltam histórias para Menina Thais, que já fez intercâmbio, morou em um motorhome, teve um sabático e foi nômade pelo mundo.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

%d bloggers like this: