África

ONDE (E O QUE) COMER EM CAPE TOWN

Uma lista esperta e compacta dos restaurantes imperdíveis de Cape Town.

Cape Town tem tanto restaurante bom que fica até difícil escolher onde comer. Prepare-se para a extensa lista de todos os lugares que comi enquanto estava na cidade e daqueles que gostaria de ter ido se tivesse mais tempo.

Leia também:

ÁFRICA DO SUL – UM RESUMO

CAPE TOWN – COMO NÃO SE APAIXONAR?

ÁFRICA DO SUL – 4 DIAS EM JOANESBURGO

prato cenico 2

Se gula é um pecado, prepare-se para não sair ileso de Cape Town. Uma cidade jovem e muito misturada, tem (como já era de se esperar) comida do mundo todo e com uma vantagem que supera cidades como São Paulo, NYC e Londres: é muito mais barata!

Não importa se você está indo para ficar dois dias ou um mês, com certeza sairá da cidade deixando muita coisa para traz. Uma prova de que isso é uma grande verdade, é que, enquanto eu fazia a lista dos restaurantes pelos quais passei, não pude ignorar os que não tive tempo de conhecer.

Reservas

Alguns restaurantes são bem competitivos e conseguir uma mesa pode demorar dois meses (vide Test Kitchen). Mas uma coisa é certa: a maioria dos bons restaurantes cobram pela reserva – um valor que é abatido no valor total da conta. Portanto, cheque sempre a política de cancelamento e não reserve se não tem certeza. Um bom app para baixar antes mesmo de chegar na cidade é o Dineplan, usado pela maioria dos estabelecimentos, possibilita tanto fazer uma reserva de última hora, como administrar as reservas mais complicadas (como as que exigem antecedência e pré-pagamento).

Por onde comi em Cape Town

Waterfront

Marina de Cape Town e point (ultra) turístico

Mondiall: No Waterfront tem vários restaurantes e é bem difícil de escolher, sendo que o Mondiall é provavelmente um dos mais ecléticos, ótimo para receber grandes turmas e agradar todo mundo. Tem opção de brunch, bar, jantar… e com uma culinária bem mista.

Minha escolha: Gnocchi do chefe

Vista Marina: Caro e bem mediano, achei. O menu é bem básico, para aqueles dias que a gente não está querendo nada muito diferente. Como o próprio nome sugere, o ponto alto é a vista, que acabei não aproveitando por conta de uma noite de neblina em Cape Town. Como o lugar também tem um bar externo, pode ser uma boa opção para começar a noite.

Minha escolha: Entrada mediterrânea e pizza

Mar e Sol: Um restaurante português, para quando bate aquela saudadezinha de casa. A comida é uma delícia, mas o que vale a pena aqui mesmo é a vista, bem de frente para a Marina. O restaurante não fecha entre almoço e jantar, então se puder, vá lá pelas 16h, quando o espaço está mais vazio, e peça uma mesa no piso superior.

Minha escolha: Peixe do dia

Sea Point

Mojo Market: Funcionando diariamente, é de domingo (quando tem música ao vivo) que esse mercado vira uma das atrações preferidas em Sea Point. Reune diversos stands com pratos rápidos de todas as partes do mundo e algumas lojinhas com produção local de moda e acessórios.

Minha escolha: Sanduiche de falafel no pita

Centro

The Fork: Restaurante à la espanhol de tapas, desses bons para ir com os amigos no happy hour. O menu de tapas é bem extenso e tem opção para todo mundo. A parte boa? Como elas são bem tamanho “coquetel”, dá para experimentar várias diferentes.

Minha escolha: Tapas do dia – pedi 5 tapas para 2 pessoas

Truth Coffee Roasting: Eleito a melhor cafeteria do mundo pelo Daily Telegraph, é indispensável a visita até para quem não gosta de café. O menu é completo e serve desde “padaria” até almoço/brunch. Tive a infelicidade de visitar esse lugar na minha última semana da cidade, mas tenho certeza que se tivesse ido antes, almoçaria lá todos os dias, rs.

Minha escolha: Cafés e confeitaria

Solo: Tinha alta expectativa com esse restaurante, mas confesso que saí meio decepcionada. O lugar é todo bonitinho (tem uma área externa onde é fácil esquecer o barulho do Centro), e assim como o Truth Coffee, tem boas sugestões tanto para café da manhã quanto para almoço. Fui no café e além de ter recebido uma refeição OK, muitos dos itens do cardápio não estavam disponíveis, uma pena .

Minha escolha: Ovos mexidos + smoothie do dia

True Italic: Apesar das muitas opções de restaurantes bons, foi bem difícil achar um italiano simples, desses que não precisa de reserva, para uma vontade repentina que surgiu em uma noite mais fria. Terminei no True Italic, que era o mais próximo de onde estava hospedada e tinha uma (última) mesa disponível quando cheguei, já depois das nove da noite. O ambiente e o menu são bem simples, mas o nhoque que pedi supriu levemente a minha vontade de carboidrato. Se puder se planejar, faça reserva em outro (eu sugiro o Il Leone).

Minha escolha: Nhoque clássico

Gardens

O bairro dos restaurantes/bares descolados

Black Sheep*: Queridinho dos descolados de Cape Town, vive lotado. Apesar da fama, da boa comida e da localização, é um restaurante mais tranquilo, desses que não precisa se arrumar demais para ir. O menu é semanal e bem eclético, com um pé no orgânico, e outro na culinária sul-africana.

Minha escolha: menu vegetariano da semana

Kloof Street House**: A minha escolha para provar comida local! Bem menos turístico do que o Mama África, por exemplo, tem uma decoração linda, gente descolada e um menu típico, mas bem revisitado – algumas opções não são tão apimentadas como a maioria dos pratos sul-africanos. Não importa a hora, vive lotado!

Minha escolha: Assado de lentilha e alcachofra com cenoura, puré de cumin e avocado.

Camps Bay

Roundhouse**: Meu restaurante preferido por vários motivos: serviço impecável, comida autoral e deliciosa, vista incrível e um preço tão bom, que parece não pagar tudo isso. É um restaurante fino, ou seja, tem dresscode, um garçom por mesa e o menu é degustação (com opção vegetariana). São 8 pratos e do amuse bouche até a sobremesa, só melhora. Separe um tempo – a minha experiência demorou mais de 3 horas – reserve, e vá com o coração aberto, não tem como se arrepender. Dica: a harmonização com vinho é, definitivamente, um must do.

Minha escolha: Menu Degustação vegetariano.

Der Waterkant

The Loading Bay: Queridinho dos locais, tem uma pegada meio hipster, e divide o espaço com duas lojas (uma de roupas masculinas e uma Aesop). O menu é bem saudável e faz tanto às vezes de café quanto de restaurante para um almoço rápido. O cardápio de sucos é imperdível, uma ótima opção para quem quer ter um detox no meio de tanta comilança em Cape Town.

Minha escolha: Green Goodness

Constantia

Simon’s*: Uma das vantagens de Constantia, é poder conhecer algumas boas vinícolas sem precisar sair da cidade. Aqui fica a vinícola mais antiga da Cidade do Cabo, a Groot Constantia, e seus dois restaurantes: o Johnkersuis e o Simon’s.  O último, mais casual, tem um preço mais acessível e reservas não precisam ser feitas com tanta antecedência. É bom, mas nada excepcional – uma parada estratégica para quando estiver visitando a região.

Minha escolha: Massa napolitana

Kirstenboch

The Kirstenboch Tea Room: Dentro do Jardim Botânico, este restaurante serve muito mais do que os chás que dão nome ao lugar. O menu é enorme e super eclético, com várias opções vegetarianas e veganas – uma coisa que me impressionou bastante foi como as garçonetes eram treinadas para sugerir pratos para cada dieta específica, algo bem raro, especialmente para os veganos, que quase sempre precisam explicar o que eles podem comer.

Minha escolha: Hamburguer vegetariano

Newsland

Região de vinícolas dentro da cidade

Myoga**: Dos restaurantes que fui com menu degustação, esse foi o mais barato – com certeza a melhor opção se você não quer gastar muito, mas ao mesmo tempo, quer ter uma experiência única. O restaurante fica em uma vinícola na Grande Cape Town, dá para ir tranquilamente de táxi, e está dentro de um hotel que é a coisa mais linda.

Minha escolha: Menu vegetariano de cinco passos

Não fui, mas queria ter ido

Woodstock

O bairro artsy – diversos grafites e galerias

Test Kitchen**: Considerado o melhor restaurante da cidade e premiadíssimo. As reservas devem ser feitas com muita, muita antecedência – a agenda abre 2 meses antes e vive lotada.

The Pot Luck**: Do mesmo grupo do Test Kitchen, tem um ambiente mais descontraído, um menu mais em conta e abre tanto para o almoço quanto para o jantar.

Constantia

La Colombe**: Para quem procura uma experiência única em vinícolas, essa é uma parada obrigatória. É um misto de culinária francesa e asiática bem no estilo fine dining.

Centro

Skinny Legs: Intitulado como Luxury Café, me parece ser meio café, meio bistrô, com pratos clássicos revisitados – e bastante opção vegetariana. Fiquei com bastante vontade de tomar um café por lá.

Sea Point

The Creamery: Uma coisa que fiquei ligeiramente decepcionada em Cape Town foi em relação às sorveterias: não achei tantas quanto estava esperando. A The Creamery é unanimidade quanto o assunto é sorvete: em todos os rankings ela é a líder.

Der Waterkant

Il Leone*: Um dos poucos italianos que encontrei perto do apartamento que estava e as três vezes que tentei, não consegui – vive lotado.  O lugar também nunca responde às solicitações de reserva por email, por tanto, se você for, melhor arriscar um dia durante a semana, e o quanto mais cedo possível.

Grand Daddy Rooftop: Na verdade, um hotel. A graça do lugar é o rooftop que tem uma programação especial todos os dias e um cinema ao ar livre que serve snacks e bebidas enquanto passa todos os tipos de clássicos do cinema.

Green Point

Gold*: Muitos turistas pensam no Mama Africa quando o assunto é experimentar a clássica culinária africana. Ao invés, eu recomendaria ir ao Gold, favorito entre os locais e mais autêntico.

The Crypt*: Adoro Jazz Bar e esse além de ser super central, tem esse nome porque é, literalmente, uma cripta. Ademais, a programação diária de jazz é sempre surpreendente, assim como o bom gosto do menu.

Camps Bay

Café Caprice: Camps Bay é famosinha pela agitação e muito acontece neste misto de restaurante e bar. Conhecido por estar sempre cheio de gente bonita, também é famoso por ser o point das celebridades que visitam a cidade.

* Reservas devem ser feitas com antecedência

** Reservas devem ser feitas com antecedência e são cobradas – verifique a política de cancelamento.

Clique aqui para saber mais da minha viagem à África

Paulista; Inquieta e curiosa, ama uma boa história. E olha que não faltam histórias para Menina Thais, que já fez intercâmbio, morou em um motorhome, teve um sabático e foi nômade pelo mundo.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

0 comments on “ONDE (E O QUE) COMER EM CAPE TOWN

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: